Sala de
Imprensa

Fechar
01.04.2016
Cerca de 10 mil pessoas são esperadas para abraço simbólico na Serra da Moeda

_MG_1085

Cerca de 10 mil pessoas são esperadas para abraço simbólico na Serra da Moeda

 

A 9ª edição do projeto Abrace a Serra da Moeda, organizado pela ONG de mesmo nome, se firmou como um grande ato público para alertar sobre a importância da preservação ambiental na região de Brumadinho. A entidade defende a reserva de água e qualidade de vida das famílias que vivem na Serra. Todos são convidados a participar

Será no dia 21 de abril, quinta-feira, a partir das 10h, o esperado abraço simbólico em favor da preservação da Serra da Moeda, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Minas Gerais. A 9º edição do Abrace a Serra da Moeda, organizado pela ONG Abrace a Serra da Moeda, deverá receber cerca de 10 mil pessoas, entre comunidades, ambientalistas, esportistas e amantes da natureza que, vestidas de branco, criam um momento de arrepiar: todos juntos de mãos dadas formam um grande cordão humano no cume da Serra da Moeda, na região conhecida como Topo do Mundo, com um único objetivo: a defesa de mais de 30 Nascentes na região, contidas no Monumento Natural Municipal da Mãe D’água, que servem de abastecimento de cerca de 10 mil famílias na encosta da Serra e recarga hídrica da bacia hidrográfica do Rio Paraopeba, que abastece a Grande BH, e sofrem com a exploração mineral. O encontro que já está no nono ano tem conseguido impedir a retomada da mineração nessa região.

“Atualmente nossa reivindicação é pela criação do Monumento Natural Estadual da Mãe D’água, como forma de proteger as comunidades que se opõem aos projetos de exploração que possam afetar as nascentes do Monumento, como por exemplo, a exploração mineral na Serra da Moeda, a Fábrica da Coca Cola e o empreendimento de expansão urbana da Csul”, explica a presidente da ONG Abrace a Serra da Moeda, Maria Cristina Vignolo. O Monumento é o instrumento jurídico capaz de garantir a proteção integral e efetiva da região, permitindo que as vocações locais continuem a crescer, como o turismo, a gastronomia rural, a agricultura familiar, os esportes radicais, o polo ceramista, entre outras atividades que encontram, neste lugar, terreno fértil para se desenvolver. “A mobilização é importante para fazer com que o poder público não ceda às pressões e acabe autorizando o avanço de atividades econômicas degradadoras nessa região, que deve ser protegida”, explica.

A ONG Abrace a Serra da Moeda esse ano também questiona a repentina queda na vazão das nascentes que abastecem as comunidades de Suzana e Campinho, em Brumadinho, na encosta da Serra da Moeda, após o início das operações dos poços tubulares que abastecem a fábrica da Coca-Cola em Itabirito (MG). Os poços de água que abastecem a indústria estão a menos de mil metros das nascentes localizadas no Monumento Natural Municipal da Mãe d’Água.

Liminar garante o Monumento Natural Municipal da Mãe d’Água

Atualmente, o Monumento Natural Municipal da Mãe D´água está em vigor graças a uma liminar dada em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais. A ação judicial foi ajuizada em razão da revogação ilegal do Decreto Municipal que criou o Monumento Natural pelo Prefeito de Brumadinho, três meses após a sua criação.

Desastre ambiental em Mariana -MG

O Abraço este ano também vai lembrar a ruptura da barragem de rejeitos da empresa Samarco (Vale/BHP), em Mariana, na região Central de Minas e as terríveis consequências ambientais do acidente.

Embora seja a maior tragédia na história da mineração, a subserviência dos Poderes Públicos permanece a mesma. O recente acordo às portas fechadas firmado entre a União, Estados de Minas Gerais e Espírito Santo e as mineradoras envolvidas demonstram o quanto podemos nos surpreender.

A punição exemplar esperada pela sociedade brasileira aos responsáveis por esse crime ambiental de grandes proporções ainda não se concretizou.

Por esperarmos que essa tragédia seja um divisor de águas no modelo de desenvolvimento econômico de Minas Gerais, o abraço à Serra desse ano não poderia deixar de abordar esse fato que marcou a nossa história.

 

O dia 21 de abril e a Mobilização das Comunidades

           

No dia 21 de abril, que foi escolhido de forma proposital, já que a inconfidência mineira simboliza a luta dos mineiros contra a exploração de seus recursos naturais, milhares de pessoas deixarão suas casas para subir no topo da montanha e lutar pela preservação ambiental da região. Mais de 10 ônibus sairão das comunidades da região levando a população que deseja ter voz, inclusive, os quilombolas. No entorno da Serra da Moeda há várias comunidades remanescentes de quilombos.

Serra da Moeda abrange oito municípios

Localizada no Quadrilátero Ferrífero e ao sul da cadeira de montanhas do Espinhaço, a Serra da Moeda está a 25 quilômetros de Belo Horizonte. Com 1500 metros de altitude, abriga inúmeras nascentes e uma vasta biodiversidade. A vertente de Brumadinho, onde se realiza o abraço simbólico, vem se firmando também como um dos destinos turísticos mais atraentes nas proximidades da capital mineira. A beleza cênica, altitude, relevo e a condição climática tornaram o espaço ideal para a prática de esportes outdoor, como voo livre, mountain bike, cavalgadas, caminhadas e a gastronomia local transformou-se em outro grande atrativo turístico.

A preservação do patrimônio natural, histórico e cultural da Serra da Moeda está ameaçada, contudo, pelas atividades de mineração planejadas para a região e outros empreendimentos degradadores. Um projeto de reativação da Mina da Serrinha, localizada em Piedade do Paraopeba, pretendido pela empresa Ferrous Resources do Brasil, provocará o rebaixamento do lençol freático e consequentemente o esgotamento de nascentes e a diminuição da recarga do rio Paraopeba.

Além disso, estudos técnicos demonstram que a mineração trará a degradação da paisagem, instabilidade da encosta da Serra, poluição sonora, crescimento urbano desordenado, emissão de poeira e colocará em risco a sobrevivência de espécies de flora endêmicas e de fauna ameaçadas de extinção. O empreendimento afetará também, especialmente, a vida de pessoas de comunidades do vale do Paraopeba, vislumbradas pela empresa para receber instalações de alto impacto ambiental, como pilhas de estéril, bacia de rejeitos, usina de beneficiamento e mineroduto.

 

Sobre a ONG

A ONG Abrace a Serra da Moeda desde 2008 trabalha em defesa das nascentes localizadas na Serra da Moeda. Inicialmente como movimento popular, constitucionalizou-se em associação civil em 2011.

Responsável pelo abraço à Serra da Moeda, protesto realizado anualmente desde 2008, a ONG tem se destacado pela defesa das águas e serras de Minas Gerais. Diante de uma economia em crise, com baixa arrecadação de tributos, queda no preço do minério, desemprego e inflação crescentes, as preocupações com o meio ambiente e recursos hídricos passaram a ser secundárias para os órgãos públicos. O furor arrecadatório do Estado, agravado pela crise econômica, coloca em risco a segurança do povo mineiro, conferindo um caráter exclusivamente político-econômico a um tema que envolve a sobrevivência das pessoas.

Como chegar – Topo do Mundo
De BH – Acesso pela BR 040, sentido Rio de Janeiro – Continuar reto após o trevo de Ouro Preto (altura do Alphaville) e pegar a Saída 567 (Inhotim), à direita, subida para o condomínio Retiro do Chalé.

Horário do Abraço – Meio dia

Voo Helicóptero

Serão disponibilizados 4 voos de helicópteros para a imprensa para registro de fotos e vídeos. A assessoria de imprensa ficará responsável pelas subidas.

Assessoria de Imprensa:

Agenda Comunicação Integrada

Jornalista responsável: Maíra Rolim

Contato: (31) 3021-0204/ 9120-1068

Site: agendacomunicacaointegrada.com.br

Fanpage: facebook.com/agendacomunicacao