Sala de
Imprensa

Fechar
16.06.2016
Dia Internacional do Diabético: médico faz alerta para os fatores de risco da doença

Com a aproximação do Dia Internacional do Diabético, um alerta: doença pode levar pacientes ao infarto e derrame se não for tratada adequadamente

         No dia 27 de junho é celebrado o Dia Internacional do Diabético. Essa data nasceu com o objetivo de promover a conscientização da sociedade para essa doença que atinge atualmente cerca de 240 milhões de pessoas, ou seja, 6% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A glicose (açúcar) é a principal fonte de energia do organismo, mas, quando consumida em excesso, pode trazer várias complicações à saúde. Para entendermos melhor, o médico nutrólogo Octaviano Cruz, da Uniclínica, em Venda Nova, explica que a Diabetes é uma doença que se caracteriza pelo aumento do açúcar no sangue, que, se não for tratada adequadamente, pode causar infarto, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas visuais e lesões de difícil cicatrização, entre outras complicações.

Atualmente, a medicina relata quatro tipos diferentes de Diabetes: Diabetes do tipo 1, Diabetes tipo 2, Diabetes gestacional e Diabetes associadas a outras patologias. Segundo o nutrólogo, as principais diferenças são relacionadas à produção ou não da insulina, herança genética e ao estilo de vida. ‘’Os tipos relacionados a genética ou auto-imunes geralmente se apresentam mais cedo e tem manifestações mais graves já no momento do diagnóstico. O diabetes gestacional se apresenta apenas na gestação e tende a melhorar depois do parto. Já  o Diabetes tipo II, ligado ao estilo de vida, que chamamos de insulino não dependente, tem mais relação com a alimentação e ao estilo de vida, e às  vezes pode-se levar anos para o diagnóstico, por ser mais silencioso.’’

 

Sintomas

As manifestações mais graves, que ocorrem no diabético tipo 1 são: emagrecimento acentuado, poliuria (aumento da frequência de urinar) e polidipsia (aumento da sede e ingestão hídrica), que pode levar até ao coma. Os outros tipos apresentam sintomas mais brandos, como o cansaço, fadiga e, às vezes, nem apresentam sintomas na fase inicial.

Fatores de risco

Segundo o nutrólogo Octaviano Cruz, o principal fator de risco é o sedentarismo. Ele pode levar ao aumento da circunferência abdominal, que é consequência da má alimentação e do estilo de vida inadequado. O médico também faz alerta ao tabagismo, todos os fatores aumentando o risco principalmente o Diabetes tipo 2.

Prevenção

O maior número de casos, e que mais cresceu nos últimos anos, foi o Diabetes tipo 2. Ele pode ser prevenido com a mudança do estilo de vida. Atividades físicas regulares, em torno de no mínimo 150 minutos semanais, e uma boa alimentação, retirando principalmente os açucares e a gordura produzida em alimentos industrializados, como refrigerantes e sucos de caixinha, são as principais formas de  prevenir a doença.

Tratamento

Com a evolução dos tratamentos nos últimos anos, é possível usar até 5 classes de medicamentos por via oral em casos dos não dependentes da insulina,  e até o uso de insulinas mais modernas no casos do diabetes insulino dependente. Tudo isso relacionado a mudanças no estilo de vida, uma dieta de baixo índice glicêmico, atividade física e acompanhamento médico regular.

Serviço:

Uniclínica – Venda Nova

Endereço: Rua das Gabirobas, 84. Bairro Vila Clóris. Belo Horizonte / MG
CEP: 31744-012

Telefone: (31) 3656-4448

Horário de atendimento: Segunda a sábado, de 7h às 19h.

Informações para a imprensa:

Assessoria de Imprensa:

Agenda Comunicação Integrada

Jornalista responsável: Maíra Rolim

Contato: (31) 3021-0204/ 99120-1068

Site: www.agendacomunica.com.br