Sala de
Imprensa

Fechar
21.12.2015
Mineiros aderem à tradição italiana do Nhoque da Fortuna

A tradição do nhoque da fortuna veio de São Pantaleão, um santo que se vestia de andarilho. Certo dia 29 de dezembro, ele entrou na casa de uma família muito pobre na Itália pedindo por alimento. A família humilde, mesmo sem ter muito o que comer, não negou o pouco alimento ao viajante. O que fizeram foi dividir igualmente a comida disponível, então cada um ganhou 7 pedaços de nhoque. São Pantaleão comeu e se foi depois de agradecer pelo prato. Ao recolher os pratos da mesa, a família descobriu que o santo havia deixado uma grande quantidade de dinheiro debaixo de cada um.

O nhoque é um prato típico da culinária italiana que foi abraçado pelos brasileiros e é bem implementado em nosso cardápio. Derivado da palavra italiana gnocchi, o prato é um dos pratos mais consumidos no mundo e considerado um dos mais antigos da Itália. Normalmente sua massa é feita de batata, mas também existem receitas com farinha de trigo. O que muitos não sabem é da tradição do nhoque da fortuna, que veio para o Brasil junto com a forte imigração italiana no século XIX.

Segundo o chef Maurizio Gallo, proprietário do restaurante de mesmo nome, o dia 29 é de tradição muito antiga em seu país de origem e se encaixou bem com a cultura brasileira, também: “No Brasil, tanto quanto na Itália, as pessoas gostam muito do prato, de tradição e de simpatia, então juntar as três coisas é bem fácil e até mesmo divertido!”, afirma, acrescentando que só em seu restaurante, a procura pelo prato aumenta em até 30%.

A simpatia tem algumas versões. Uma delas garante que, quem comer em pé as sete primeiras unidades de nhoque no dia 29 de qualquer mês, tem direito a fazer um pedido para cada unidade ingerida.

Em outra versão, ao invés de comer em pé, deve-se colocar uma quantia qualquer de dinheiro embaixo do prato e mentalizar seus maiores desejos com um pensamento positivo. Há quem acredite que o dinheiro usado na simpatia deve ficar guardado até o próximo dia 29 para que a mandinga dê certo.

A última das versões diz que deve se unir todas as citadas antes: separar 7 pedacinhos de nhoque e, de pé, com uma nota de qualquer valor debaixo do prato, fazer um pedido para cada pedaço ingerido. Depois de saborear o restante do prato, deve-se guardar o valor até o próximo dia 29.

O restaurante italiano Maurizio Gallo tem vários pratos de nhoque. Nhoque ao molho de tomate pelado italiano, Nhoque a matriciana, Nhoque tricolor ao pesto, entre outros. Os pratos com massa e molho saem por R$39,50, já os que acompanham carne, custam R$49,50. O Nhoque ao sugo é uma das sugestões do chef para seguir a simpatia.

NHOQUE AO SUGO

 

INGREDIENTES:

Massa

2 batatas

250 g de farinha de trigo

1 ovo

Molho

5 unidades de tomate sem casca

1 dente de alho amassado

2 colheres sopa de manjericão

Orégano a gosto

Açúcar

Sal

2 colheres sopa de azeite extra virgem

1 doses de suco de tomate

MODO DE PREPARO:

(Tempo: Aproximadamente 35 minutos)

Massa

Descasque as batatas e coloque-as para cozinhar em água fervendo. Cozinhe até que fiquem moles, mas não a ponto de desmanchar. Você consegue esse ponto em aproximadamente 15 minutos. Tire as batatas da água e amasse-as com um garfo ou passe-as em um espremedor de batata. Em um recipiente, junte a batata espremida com a farinha de trigo e o ovo. Mexa a massa até formar uma bola. Polvilhe uma superfície com farinha e abra a massa em tiras compridas. Corte as tiras em pequenos pedaços de 1,5 cm cada. Numa panela grande, coloque água para ferver com um pouco de sal. Quando a água estiver fervendo, coloque os pedaços de nhoque e deixe cozinhar de 3 a 5 minutos ou até que a massa comece a boiar. Escorra e reserve.

Molho

Em uma panela, coloque o azeite e o deixe em fogo médio de 30 segundos a 1 minuto. Depois acrescente o alho e mexa até dourar. Coloque o suco de tomate e em seguida os 5 tomates sem pele restantes. Deixe ferver por 3 minutos com a tampa fechada (mexendo sempre). Adicione o manjericão e deixe ferver por 5 minutos com a tampa fechada, mas, mexendo a cada 30 segundos.

Coloque o sal e o açúcar à gosto. Se preferir, adicione uma pitada de orégano.

Sobre a casa:

Maurizio Gallo, restaurante do chef e empresário de mesmo nome, está em plena expansão. O chef chegou ao Brasil há 7 anos, abriu uma casa no bairro São Pedro, localizado na região Centro-Sul de Belo Horizonte e desde então faz sucesso, sendo um dos principais nomes da gastronomia italiana na capital. O ambiente mais recente é um casarão localizado no bairro de Lourdes, também na região Centro-Sul, que foi aberto há cerca de 10 meses, devido a grande demanda de clientes, inclusive para realizar eventos maiores, como noivados, casamentos, festas de batizados, além de corporativo, entre outros.

A nova casa de 160 metros quadrados conta com 95 lugares, varanda extensa e bem arejada. Na decoração, o tema predominante é a gastronomia italiana e cinema. Chama a atenção uma bandeira da Itália com cerca de 30 metros, disposta pelo teto do salão principal. O cantinho de Veneza, especial para casais e eventos mais pessoais contém quadros da cidade carnavalesca e máscaras típicas. À noite o clima é romântico, com toalhas e velas.

O restaurante, com comida genuinamente caseira, funciona para almoço e jantar, e além dos pratos principais, oferece um cardápio com produtos sem glúten aprovados pela Federação Mineira de Celíacos e menus executivos de massa. Maurizio conta que começou comercializado apenas massas congeladas. Com o tempo, os amigos e clientes passaram a desejar consumir os pratos do cardápio ali mesmo, ainda na unidade São Pedro. Foi assim que, aos poucos, a então loja foi se transformando em restaurante. Hoje, além dos pratos servidos nas casas, o chef continua oferecendo congelados. A tiragem é de aproximadamente 700 unidades de congelados por mês, com pratos diferentes do cardápio oferecido nos espaços físicos e também oferece delivery dos alimentos.

Para o chef, uma das características que distingue seu restaurante dos demais, é que 100% dos produtos utilizados nos pratos são de origem italiana. Desde o azeite, o pesto, o molho de tomate utilizado nas massas, até as sobremesas, que também são típicas da Itália. As principais sugestões do chef são Bruschettas com Pesto de Tomate Seco (R$20), para a entrada, Espaguete com camarões (R$ 55,50), Espaguetes flambados na forma de parmesão (R$44), Penne ao molho tricolor com picanha suína (R$49,50), Parppadelle ao molho pernil de cordeiro (R$49,50), e Nhoque ao molho de bolonhesa e pesto de manjericão (R$49,50). Como sobremesa, Tiramisú e Salame de chocolate com sorvete (R$20 cada). O restaurante tem uma carta de vinhos com 64 rótulos, sendo 20 deles italianos.

Serviço:

Endereços:

Lourdes: Rua Aimorés, 2305 – Telefone para reservas: (31) 2514-3020

São Pedro: Av. Nossa Senhora do Carmo, 860 – Telefone para Reservas: (31) 2555-5432

Funcionamento: Segunda-feira:

Congelados: 8h as 16h20

Almoço: 11h30 às 15h

Terça a sábado:

Congelados: 8h até 0h

Almoço e jantar: 11h30 a meia noite

Domingo:

Congelados: 8h às 18h

Almoço e jantar: 11h30 às 18h

Cartões: America Express, Visa, Mastercard, Diners e refeições.

Assessoria de Imprensa:

Agenda Comunicação Integrada

Jornalista responsável: Maíra Rolim

Contato: (31) 3021-0204/ 9120-1068/8500-1358

Site: agendacom.com.br  || facebook.com/agendacomunicacao